Partido da PQP faz 50 anos gozando na cara do povo.

O Partido da PQP fez hoje 50 anos de existência, comemorados em grande estilo, na Câmara Baixa. Para seus componentes, a agremiação é aquela que mais agregou valor a democracia brasileira, mas para a população, tudo não passou de enganação. Partícipe do momento de luta pela redemocratização, o PQP de outrora, uma entidade respeitável, com quadros ímpares na história de luta em prol do fim do Golpe Militar. Atualmente, vivendo na contramão de antigos ideais, apoia prontamente a adoção de expedientes, mesmo previstos na Constituição Federal, de tomar o poder sem o Sufrágio das urnas. É, de fato, a gozada literal na face daqueles defensores de mudanças na estrutura politico-partidária, sabendo da rejeição ao nefasto Presidente da Câmara e ao não menos demagogo Presidente do Senado, de mãos datas na arte da gozação com o Vice-Presidente da República, ex-Popular. Nosso pesar por todos que acreditam na força das ruas, mas eu, José Mauro, desacredito totalmente deste poder.

Opinião do Front: Passos de um ciclo vicioso

Aliar-se ao atual governo, de quaisquer ideologia ou conteúdo programático;
Aparelha-lo com “as amizades” para financiar suas futuras campanhas “democráticas”;
Dar base política no legislativo para aprovar tudo até a página 2;
Criar clima de instabilidade financeira nas famílias pobres;
Aumentar impostos da classe média;
Desempregar em massa;
Não combater a violência urbana dentro da legalidade, levando o terror a todos;
Permitir que epidemias se tornem edemias;
Colocar um fantoche em cada poder da República e fazer com que um deles se ache Deus;
Incitar a discórdia no seio das diferenças sociais, criando termos infanto-culinários de cunho pejorativo-preconceituoso-excludente;
Manipular a imprensa;
Manipular o judiciário;
Manipular o Ministério Público;
Esperar que eles façam o serviço sujo;
Convocar protestos “de pobre contra ricos” e de “ricos contra pobres”;
Inventar crise institucional dentro do pacto federativo;
Ameaçar sair da base aliada e continuar nela;
Esperar as pessoas se matarem mais do que já estão se matando;
Enxotar quem tá no poder executivo;
Fazer a oposição acreditar em você de novo;
Coloca-los no lugar de quem estava no poder executivo;

VOLTE PARA O INÍCIO DO TEXTO.

Carta aberta sobre os fatos de hoje.

Está claro que a presidente não tem mais a legitimidade para continuar governando o país e muito menos o PT participar de um possível futuro governo. Entretanto, pessoas como Aécio Neves, Geraldo Alckmin, José Serra, Renan Calheiros, José Agripino, Fernando Henrique Cardoso, Ricardo Lewandowski, Eduardo Cunha, Gilmar Mendes, Marina Silva, Ciro Gomes, Jair Bolsonaro, Paulo Maluf, dentre outros tantos que a tanto tempo participam da vida política e administrativa da República sem nada a fazer contra esses desmandos que corroem o erário, cansando grave crise social e econômica, não têm envergadura moral para assumirem o poder do país na vacância do cargo de presidente. Nós devemos parar de burrices, temos de assumir as rédeas do poder. Sim, sou ativista de internet, já que a maioria das pessoas que opinam sobre as mazelas do Brasil estão conectadas em rede. Temos de doar nosso conhecimento, nossas experiências para a verdadeira mudança ocorrer, senão vamos tirar Chico e entrar Francisco, ou seja, não adiantará tirar Dilma e colocar Aécio, ambos são farinha de um mesmo saco furado. Sei que este “desabafo” não será levado em consideração, pois sou um Zé, tanto na erudição quanto na abstração do verbete. Abraços a todos os meus amigos que leram e a quem não leu também.

José Mauro da Silva.
Teu amigão de sempre.